Especialista em Gestão de Relacionamento atinge excelência em atendimento de clientes com tecnologia Dzyon

sm-logoA SM Services, empresa que figura entre as líderes do mercado brasileiro de Prospecção, Marketing e Inteligência Comercial, é usuária desde 2013 de tecnologia da empresa brasileira Dzyon S/A para gestão interna de sua carteira de prospects.

A parceria ocorreu de forma inusitada, quando a Dzyon passou de cliente a fornecedora da SM Services. “Éramos a empresa de prospect de novos clientes da Dzyon”, conta Aline Silva, Gerente de Operações da SM Services. “Como passamos a conhecer a fundo o trabalho e os produtos da Dzyon, percebemos que estava ali, bem na nossa frente, a solução tecnológica para nossos problemas de gestão”.

Fundada em 2005, com foco em relacionamento com cliente, definição de público-alvo, abordagem, questionários, qualificação dos prospects e acompanhamento em potencial clientes para seus contratantes, a SM Services tinha até então uma rotina conturbada em seu escritório na zona sul de São Paulo e enfrentava dificuldades organizacionais.

SM_Services_Dzyon

O controle para gerenciar os dados de mais de 40 empresas que integravam sua carteira de clientes era feito com planilhas de Excel, o que demandava tempo e gerava retrabalhos. A empresa já havia utilizado outros softwares de gestão, mas nenhum deles havia atendido às expectativas. Foi quando a SM Services passou a utilizar os softwares de ERP (Enterprise Resource Planning – Planejamento dos Recursos Empresariais) e CRM (Customer Relationship Management – Gestão de Relacionamento com Cliente) da Dzyon, atingindo um novo cenário de excelência em gerenciamento administrativo.

De acordo com Francine Nonaka, CEO da Dzyon, a rotina de trabalho da SM Services carecia de um sistema customizado e tão dinâmico quanto o trabalho de prospecção de relacionamento com o cliente. “Cada campanha tem um público alvo e uma abordagem diferenciada”, diz a executiva. “Com base nisso, elaboramos um projeto sob demanda para atender às necessidades específicas desse mercado, com um sistema fácil e padronizado, mas configurável e com workflow ágil e inteligente para geração de dados de qualidade em tempo real.

Os módulos foram implantados em 12 meses, com total integração às operações e base de informações da SM Services. “Foi um período de muita flexibilidade da Dzyon para atender a 100% das nossas demandas, seja através de reuniões, acompanhamento presencial e remoto e transferência de dados. Valeu a pena”, pontua Aline Silva.

Segundo a gerente de operações da SM Services, o ponto alto da ferramenta está na agilidade que trouxe para os antes críticos processos de extração de relatórios finais para clientes. A operação, que antes durava dias, passou a ser realizada em questão de horas, com reflexos positivos também na redução de funcionários envolvidos na tarefa.

“Além disso”, diz Aline, os usuários têm acesso em tempo real às informações, que ficam documentadas dentro da plataforma e facilitam a geração de relatórios estratégicos. É um grande avanço”.

Também deixaram de ser manuais importantes rotinas diárias como o envio de e-mails, uma vez que o sistema da Dzyon dispara as mensagens automaticamente e de acordo com a atividade que está sendo executada.

“O tempo gasto pelas equipes em certas tarefas foi revertido em maior tempo de atenção ao cliente, para dar a ele o que ele precisa, de forma imediata e dinâmica. É produtividade e excelência em primeiro grau. E isso não tem preço para uma empresa especialista em relacionamento com cliente”, conclui Aline.

Cliente Dzyon é bicampeão do prêmio Melhores do Ano – Prazeres da Mesa

É com imensa alegria (e muito apetite) que parabenizamos nosso parceiro, amigo e chef Viko Tangoda pela conquista do bicampeonato na categoria Banqueteiro do prêmio Melhores do Ano Prazeres da Mesa.

VikoViko foi aclamado pelo talento e maestria com os quais comanda grandes preparações em eventos igualmente gigantescos, a exemplo do Carnavale Fórmula 1. “Tangoda transfere a peculiar personalidade às criações do bufê com pratos que mesclam culturas com referências aliadas a apresentações sofisticadas. Além disso, ministra cursos em escolas de gastronomia e assina jantares em eventos beneficentes”, diz a revista.

Esta é a 13ª edição do evento, cujos participantes são sempre indicados por um time de especialistas de Norte a Sul do País. Os vencedores são eleitos pelo público (mais de 18 mil votos este ano) através da plataforma online da Prazeres da Mesa, uma das mais badaladas e importantes publicações brasileiras sobre gastronomia.

Parabéns, Viko! A Dzyon sente-se honrada em fazer parte da sua trajetória de sucesso.

Viko Tangoda é nosso parceiro desde 2014, quando passou a utilizar nosso sistema de Dzyon Gestão de Eventos para administração de seu Buffet, prezando sempre pela qualidade e profissionalismo.

Para saber mais sobre o chef Viko e a premiação, clique aqui.

 

NotaSoft – Software gratuito para emissão da NF-e

A Sefaz anunciou que não vai dar mais continuidade ao software de emissão de nota fiscal eletrônica. As empresas que ainda utilizam essa solução precisam buscar outras alternativas.

O NotaSoft, da Dzyon, é a solução perfeita, e por isso foi destaque no Portal Information Management. Leia matéria completa aqui.

Alterações no SPED Fiscal para Janeiro de 2017

Principais alterações no Guia Prático da EFD-ICMS/IPI – versão 2.0.19– 02/05/2016

1. Bloco K: inclusão dos Registros K210, K215, K260, K265, K270, K275 e K280, válidos a partir de janeiro de 2017

2. Registro E300: alterada regra de ocorrência para 1:N

3. Registro 0200: incluído o Campo 13 CEST, a partir de janeiro/2017  (e não E200 como informado no Guia Prático)

4. Registro 1400: alterada instrução de preenchimento do Campo 04 (VALOR)

5. Incluído o Campo CHV_DOCe nos Registros C113, E113, E240, 1210 e 1923, a partir de janeiro/2017

6. Registro E310: incluído novo leiaute válido a partir de 01/01/2017.

7. Registro C176: incluídos campos 10 a 26, a partir de janeiro/2017 (preenchimento de acordo com as regras da UF do domicílio do contribuinte).

8. Registro C170: Alterada a redação das instruções de preenchimento dos campos 05 e 06

9. Registro K220: alterada orientação de preenchimento em razão da inclusão dos Registros K210 e K215

10. Registros K230, K235, K250 e K255: alterada orientação de preenchimento em razão da inclusão dos novos registros no Bloco K

 

Publicação Ato Cotepe nº 07 de 16 de maio de 2016

Publicado em 16/05/2016

Publicado Ato COTEPE 07/2016, alterando o Ato COTEPE ICMS 09/08, que dispõe sobre as especificações técnicas para a geração de arquivos da Escrituração Fiscal Digital – EFD ICMS IPI

Foi publicado, no Diário Oficial da União, o Ato Cotepe 07/2016, que trata de alterações no leiaute do Bloco K e do Registro E300 e filhos, visando simplificar a prestação das informações.

O novo leiaute será válido a partir de janeiro de 2017. Com isso, informamos:

a)  O Guia Prático 2.0.19 já está disponível para download.

b) O “Perguntas Frequentes” está em atualização e a nova versão estará disponível em breve.

c) A nova versão PVA será disponibilizada com a devida antecedência, para que os contribuintes tenham o prazo de adaptação necessário.

Fonte: http://sped.rfb.gov.br/pagina/show/1985

Novo prazo para entrega da ECF 2016, exercício 2015

Receita Federal altera novamente o prazo de entrega da ECF 2016, exercício 2015. O arquivo magnético deve ser entregue até o último dia útil do mês de julho do ano seguinte ao ano-calendário.

A entrega da ECD não se altera, permanecendo o prazo até o último dia útil de maio.

A Dzyon possui as ferramentas e serviços completos para atender essa obrigatoriedade. Além disso, o software pode ser integrado a qualquer ERP, compartilhando as informações, garantindo a confiabilidade dos dados e dando dinamismo na apuração dos impostos e geração dos arquivos. Saiba mais em http://dzyon.com/br/serv_ecf.php

Não deixe de nos contactar e garantir o cumprimento da legislação, de forma transparente e automatizada.

 

INSTRUÇÃO NORMATIVA No – 1.633, DE 3 DE MAIO DE 2016

Altera a Instrução Normativa RFB no – 1.422, de 19 de dezembro de 2013, que dispõe sobre a Escrituração Contábil Fiscal (ECF).

O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos III e XXVI do art. 280 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal do Brasil, aprovado pela Portaria MF no – 203, de 14 de maio de 2012, e tendo em vista o disposto no art. 16 da Lei no – 9.779, de 19 de janeiro de 1999, resolve:

Art. 1o – O art. 3o – da Instrução Normativa RFB no – 1.422, de 19 de dezembro de 2013, passa a vigorar com a seguinte redação:

“Art. 3o – A ECF será transmitida anualmente ao Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) até o último dia útil do mês de julho do ano seguinte ao ano-calendário a que se refira.

Primeiro Seminário Dzyon ECF/ECD 2016

Como você sabe, o Leão anda apressado. Este ano, a Receita antecipou a entrega do Sped Contábil e da ECF, obrigações de alta complexidade e com riscos reais de multas e outras dores de cabeça. Para ajudar nossos clientes a não correr riscos, criamos uma força tarefa que já começou a agir.

No dia 14 de abril, realizamos o primeiro Seminário Dzyon ECF/ECD, visando a capacitação de gerentes de Projeto, usuários Fiscal e Contábil, Contadores e Administradores para tirar o máximo dos sistemas Dzyon.

seminario_ecf_montagem

As vagas eram limitadas e por isso, nem todos os clientes puderam participar. Mas já estamos providenciando novas datas. Fiquem atentos!

A todos que compareceram nesse primeiro encontro, muito obrigado! Ficamos muito felizes em recebê-los em nossa casa!

 

Zelo completa 54 anos de sucesso. E a Dzyon faz parte dessa história!

A Dzyon está mais uma vez em festa. A prosperidade e o sucesso de nossa equipe e de nossos parceiros é sempre motivo de comemoração, mas a razão extra de tal felicidade é que a  Zelo, maior loja no Brasil especializada em roupas de cama, mesa e banho está comemorando 54 anos de vida.

A Zelo conta hoje com mais de 50 pontos de venda em território nacional, além de um dos mais eficientes e-commerce para venda online de marcas de primeira linha e de sua coleção própria de edredons e jogos de cama.

Zelo

Líder em seu segmento de mercado, a companhia é igualmente referência em investimentos em tecnologia para clientes e colaboradores. A Zelo é nossa parceira desde 2013, quando passou a utilizar nossos serviços de Armazenamento de NF-e, garantindo aos gestores da área Contábil e de TI o fácil e seguro armazenamento remoto de suas notas fiscais eletrônicas, com transferência automatizada e um datacenter especialmente configurado para seguir a nova legislação brasileira.

Parabéns, Zelo! É uma alegria fazer parte de sua história de sucesso e prosperidade.

CÓDIGO ESPECIFICADOR DA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTARIA – CEST

Entra em vigor em 01/01/2016, parte do convênio ICMS 92/15 que estabelece a sistemática de uniformização e identificação das mercadorias e bens passíveis de sujeição aos regimes de substituição tributária e de antecipação de recolhimento do ICMS com o encerramento de tributação, relativos às operações subsequentes para todos os contribuintes do ICMS, optantes ou Simples Nacional.

A partir de 01/04/2016, nas operações com mercadorias ou bens listados nos Anexos II a XXIX deste convênio, o contribuinte deverá mencionar o respectivo CEST no documento fiscal que acobertar a operação, ainda que a operação, mercadoria ou bem não estejam sujeitos aos regimes de substituição tributária ou de antecipação do recolhimento do imposto.

O AJUSTE SINIEF 12, DE 4 DE DEZEMBRO DE 2015  institui a Declaração de Substituição Tributária, Diferencial de Alíquota e Antecipação – DeSTDA, a ser apresentada mensalmente pelos contribuintes a partir de 01/01/2016 as empresa Optantes pelo Simples Nacional

A emenda constituicional 87/15 informa que:
–  nas operações e prestações que destinem bens e serviços a consumidor final, contribuinte ou não do imposto, localizado em outro Estado, adotar-se-á a alíquota interestadual e caberá ao Estado de localização do destinatário o imposto correspondente à diferença entre a alíquota interna do Estado destinatário e a alíquota interestadual

– a responsabilidade pelo recolhimento do imposto correspondente à diferença entre a alíquota interna e a interestadual de que trata o inciso VII será atribuída:

a) ao destinatário, quando este for contribuinte do imposto;

b) ao remetente, quando o destinatário não for contribuinte do imposto;

– no caso de operações e prestações que destinem bens e serviços a consumidor final não contribuinte localizado em outro Estado, o imposto correspondente à diferença entre a alíquota interna e a interestadual será partilhado entre os Estados de origem e de destino, na seguinte proporção:

I – para o ano de 2015: 20% (vinte por cento) para o Estado de destino e 80% (oitenta por cento) para o Estado de origem;

II – para o ano de 2016: 40% (quarenta por cento) para o Estado de destino e 60% (sessenta por cento) para o Estado de origem;

III – para o ano de 2017: 60% (sessenta por cento) para o Estado de destino e 40% (quarenta por cento) para o Estado de origem;

IV – para o ano de 2018: 80% (oitenta por cento) para o Estado de destino e 20% (vinte por cento) para o Estado de origem;

V – a partir do ano de 2019: 100% (cem por cento) para o Estado de destino.”
A partir de 01/01/2016 baseado na nota tecnica NFe 2015.003 v1.50 dados referentes ao diferencial de alíquota, FECP e partilha deverão ser informados na NF-e.

https://www.confaz.fazenda.gov.br/legislacao/convenios/convenio-icms/2015/convenios-icms-92-15
https://www.confaz.fazenda.gov.br/legislacao/ajustes/2015/ajuste-sinief-12-15
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/Emendas/Emc/emc87.htm
http://www.nfe.fazenda.gov.br/portal/listaConteudo.aspx?tipoConteudo=tW+YMyk/50s=

Receita Federal altera prazo de entrega da ECD e ECF 2016, exercício 2015

sped-ecf

Receita federal altera prazo de entrega da ECF 2016, exercício 2015. O arquivo magnético deve ser entregue até o último dia útil do mês de junho do ano seguinte ao ano-calendário.

Devido à essa mudança, as empresas também terão um mês a menos de preparo para a entrega do SPED Contábil em 2016, que foi antecipado para o último dia útil do mês de maio do ano seguinte ao ano-calendário.

A entrega da ECF 2015 foi um sucesso para os clientes da Dzyon. E estamos totalmente à disposição para trabalhar em conjunto, orientar, e fazer de tudo para que a entrega de 2016 também seja tranquila, rápida e consistente. Mas além disso, queremos que esse projeto não só atenda a legislação, como também seja útil para dinamizar os processos, analisar os negócios, os números, sempre de forma transparente, integrada e em tempo real.

Instrução normativa na íntegra

ECF: http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/link.action?visao=anotado&idAto=69969

ECD: http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/link.action?visao=anotado&idAto=69968

 

INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 1595, DE 01 DE DEZEMBRO DE 2015

(Publicado(a) no DOU de 03/12/2015, seção 1, pág. 16)

Altera a Instrução Normativa RFB nº 1.422, de 19 de dezembro de 2013, que dispõe sobre a Escrituração Contábil Fiscal (ECF).

O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos III e XXVI do art. 280 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal do Brasil, aprovado pela Portaria MF nº 203, de 14 de maio de 2012, e tendo em vista o disposto no art. 16 da Lei nº 9.779, de 19 de janeiro de 1999,

RESOLVE:

Art. 1º Os arts. 2º e 3º da Instrução Normativa RFB nº 1.422, de 19 de dezembro de 2013, passam a vigorar com a seguinte redação:

“Art. 2º ………………………………………………………………………..

………………………………………………………………………………………

VIII – à apresentação do Demonstrativo de Livro Caixa, a partir do ano-calendário 2016, para as pessoas jurídicas optantes pela sistemática do lucro presumido que se utilizem da prerrogativa prevista no parágrafo único do art. 45 da Lei nº 8.981, de 20 de janeiro 1995, e cuja receita bruta no ano seja superior a R$ 1.200.000,00 (um milhão e duzentos mil reais), ou proporcionalmente ao período a que se refere.” (NR)

“Art. 3º A ECF será transmitida anualmente ao Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) até o último dia útil do mês de junho do ano seguinte ao ano-calendário a que se refira.

………………………………………………………………………………………

§ 4º Nos casos de extinção, cisão parcial, cisão total, fusão ou incorporação, ocorridos de janeiro a maio do ano-calendário, o prazo de que trata o § 2º será até o último dia útil do mês de junho do referido ano, mesmo prazo da ECF para situações normais relativas ao ano-calendário anterior.

……………………………………………………………………………” (NR)

Art. 2º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União.

Art. 3º Fica revogado o inciso IV do § 2º do art. 1º da Instrução Normativa RFB nº 1.422, de 19 de dezembro de 2013.

JORGE ANTONIO DEHER RACHID

 

INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 1594, DE 01 DE DEZEMBRO DE 2015

(Publicado(a) no DOU de 03/12/2015, seção 1, pág. 16)

Altera a Instrução Normativa RFB nº 1.420, de 19 de dezembro de 2013, que dispõe sobre a Escrituração Contábil Digital (ECD).

O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos III e XXVI do art. 280 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal do Brasil, aprovado pela Portaria MF nº 203, de 14 de maio de 2012, e tendo em vista o disposto no art. 16 da Lei nº 9.779, de 19 de janeiro de 1999,

RESOLVE:

Art. 1º Os arts. 3º e 5º da Instrução Normativa RFB nº 1.420, de 19 de dezembro de 2013, passam a vigorar com a seguinte redação:

“Art. 3º ………………………………………………………………………..

………………………………………………………………………………………

§ 3º A obrigatoriedade a que se refere este artigo e o art. 3º-A não se aplica:

I – às pessoas jurídicas optantes pelo Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Simples Nacional), de que trata a Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006;

II – aos órgãos públicos, às autarquias e às fundações públicas; e

III – às pessoas jurídicas inativas de que trata a Instrução Normativa RFB nº 1.536, de 22 de dezembro de 2014.

……………………………………………………………………………………..

§ 6º A obrigatoriedade prevista nos incisos III e IV do caput aplica-se em relação aos fatos contábeis ocorridos até 31 de dezembro de 2015.” (NR)

“Art. 5º A ECD será transmitida anualmente ao Sped até o último dia útil do mês de maio do ano seguinte ao ano-calendário a que se refira a escrituração.

………………………………………………………………………………………

§ 4º Nos casos de extinção, cisão parcial, cisão total, fusão ou incorporação, ocorridos de janeiro a abril, o prazo de que trata o § 1º será até o último dia útil do mês de maio do ano de ocorrência.

……………………………………………………………………………” (NR)

Art. 2º A Instrução Normativa RFB nº 1.420, de 2013, passa a vigorar acrescida do art. 3º-A, com a seguinte redação:

“Art. 3º-A Ficam obrigadas a adotar a ECD, nos termos do art. 2º do Decreto nº 6.022, de 2007, em relação aos fatos contábeis ocorridos a partir de 1º de janeiro de 2016:

I – as pessoas jurídicas imunes e isentas obrigadas a manter escrituração contábil, nos termos da alínea “c” do § 2º do art. 12 e do § 3º do art. 15, ambos da Lei nº 9.532, de 10 de dezembro de 1997, que no ano-calendário, ou proporcional ao período a que se refere:

a) apurarem Contribuição para o PIS/Pasep, Cofins, Contribuição Previdenciária incidente sobre a Receita de que tratam os arts. 7º a 9º da Lei nº 12.546, de 14 de dezembro de 2011, e Contribuição incidente sobre a Folha de Salários, cuja soma seja superior a R$ 10.000,00 (dez mil reais); ou

b) auferirem receitas, doações, incentivos, subvenções, contribuições, auxílios, convênios e ingressos assemelhados, cuja soma seja superior a R$ 1.200.000,00 (um milhão e duzentos mil reais); e

II – as pessoas jurídicas tributadas com base no lucro presumido que não se utilizem da prerrogativa prevista no parágrafo único do art. 45 da Lei nº 8.981, de 1995.

Parágrafo único. As Sociedades em Conta de Participação (SCP) enquadradas nas hipóteses previstas nos incisos I e II do caput deste artigo e nos incisos I e II do caput do art. 3º devem apresentar a ECD como livros próprios ou livros auxiliares do sócio ostensivo, ressalvado o disposto no § 6º do art. 3º.”

Art. 3º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União.

JORGE ANTONIO DEHER RACHID

Saiba a diferença entre ser bondoso e ser fraco

Dzyon_Post_RH_Bondade_rev1-04

Dentro de casa, as pessoas também precisam construir bons modelos. Se alguém só é maravilhoso fora de casa, não merece respeito. Se o seu negócio prospera à custa da sua família, você nunca merecerá nenhum respeito por suas realizações.

Os homens que têm força demonstram também calor humano e bondade. Uma pessoa que não tem força não pode ser gentil no verdadeiro sentido. A força deve estar revestida de responsabilidade e ser exercida trabalhando com paixão neste mundo. Não se esqueça de que sem força não é possível haver bondade. Ser gentil e bondoso não significa perder autoridade e tornar-se fraco. Essas duas coisas não têm nada a ver uma com a outra.

Do mesmo modo, gostaria de destacar que uma mulher realmente bondosa é uma mulher de coragem. Quando o marido enfrenta obstáculos e dificuldades, é a mulher que tem o poder de apoiá-lo e encorajá-lo, e permite assim que ele alcance grandes realizações. O que é preciso nesse caso é coragem. A mulher que tem coragem também consegue ser boa e afetuosa. Bondade não representa fraqueza ou debilidade, mas algo que torna as pessoas mais fortes.

(trecho extraído do livro Estou Bem!, de Ryuho Okawa)